Daquilo que quero…

Quero a calma de um rio, o silêncio de um amanhecer, a sombra das árvores bebendo o meu caminho…

Quero não ter sede, não ter fome, não sentir o toque de ninguem a não ser da luz, do vento, da chuva…

Quero ouvir o meu coração bater, a minha alma dançar, apenas ao som do anjo que me embala…

Quero tudo que os ventos trazem, que a chuva lava, que o Sol aquece e que a Lua ilumina…

“Minha decendência cigana se revelando, meus preceitos wicca se fortalecendo, minha fé Cristã se avivando, meu equilibrio Budista sempre ativo e a vida vai se moldando…”

Eu sou apenas uma cigana.

Não sou daqui,

Não sou de lá,

Sou de todo lugar.

Alexandre Cumino

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir.O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto.

Fernando Pessoa

Dois caminhos divergiam num bosque, e eu escolhi aquele menos percorrido…

Aquele que fez toda a diferença.

Robert Frost

*se for copiar cite a fonte, ok? O maior elogio da inveja é a cópia!

Anúncios

Eu sou! E serei sempre!


Dança Cigana! Foto linda!
Upload feito originalmente por Srta Liss…
Sou quase um sorriso completo, mas gosto que seja assim, por que busco incessantemente tudo o que não seja palpável… Que não seja morno… Que tenha um colorido gritante!

E sou mesmo abraços, beijos, mordidas, amigos, rodas, cantigas, poesia, café, chá, sol, lua, frio, mar, cachorros, gatos, dança, alma, impulsividade, delírios, contradições, sonhos desconexos, mau humor muito bem humorado, bebidinhas, pessoas estranhas, rockzinho (yeah, yeah), madrugadas, insônia, ternura, olhar vago e penetrante, certezas, confusão, rompantes, loucuras e chocolates, cozinha e ‘A’ cozinha, sou paixão por tudo que seja temporariamente impossível, muitos livros, muitos filmes, muitos sons, muitas cores, muitos amigos, incansavelmente viva e absolutamente desbocada… Sou intolerante, inflexível, impaciente e estável como o vento… Mutável, plenamente mutável… Sou Intensa e altamente inflamável. Um pouco de ternura e teimosia… Tudo junto.
Obesa nas palavras e crua na realidade.
Sentindo, pulsando, ardendo: Eu gosto de você. Mas, eu gosto de muitas pessoas!
E gosto de tudo que é natural, simples e espontâneo, como a natureza é.
Eu me reinvento todos os dias, sou redundante, sou sempre… Mas, estas e certas coisas permanecem. Então, essa devo ser eu… Quase um segredo, quase um mistério, mas quase… Me diluindo nessa nossa linguagem mesquinha e fascista.

“Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples…”
(Manuel Bandeira)

“Deus me livre de ser normal” (Professor Hermógenes)

PS: Minha primeira tatuagem tem seu nome… E nem doeu para fazer!

vipaśyanā * **


Acordei cega, mas vendo tudo ao avesso…
Surda, mas ouvindo apenas belas canções!
Muda e gritando para quem quer ouvir…
Acordei sorrindo… Ciente de que entre a lágrima e o sorriso haja apenas o meu nariz!*
Isso é o ato ou, resultado, de aprender a verdadeira natureza das coisas, enxergar intuitivamente.
Isso é a capacidade da observação profunda e da dedução; discernimento; percepção;”
Raras são pessoas capazes disso… Por isso acordei mais feliz!

Qualidades inestimáveis, insuperáveis e raras!! E pior que não tê-las é pensar que se tem!

PS: Dedicado a Carol Amorim (gente de verdade com olhos de bondade!)

*Denomina uma meditação ensinada na Índia há 2500 anos por Siddhartha Gautama – Śākyamuni.
** Significa “insight”, ver as coisas como elas realmente são!

"tudo muda o tempo todo no mundo”

“…A vida vem em ondas como um mar!

Num indo e vindo infinito…”



Uma das várias “coincidências” que acontecem quando se unem o céu e a terra…
Não há tempo que apague, supere ou alcance… A vida me surpreende!

PSI: Eu sempre soube o que falava… E algumas coisas só comprovam que eu estava certa o tempo todo, mesmo estando errada. Não hoje, mas estava certa… E isso é bom!

PSII: Só falta ‘issozinho’ aqui para eu respirar aliviada, a parte mais difícil já foi… [foi ontem!] Meus dias têm sido mais leves!!!



Não se vive só de passado, nem só de presente, nem só de futuro…

Eu vivo da eternidade… Da eternidade das pequenas coisas mais simples, mais minhas, mais íntimas… E o pra sempre não é tempo algum…

Obrigada por me fazer encontrar um atalho de um caminho onde, certamente, eu perderia muito tempo em busca de paz.

[Para mim isso é quase tudo!]



Palavras e Silêncios…

Gosto das palavras como um bem precioso e, de fato, são.Guardo-as num cofre secreto que me esqueci onde fica! Mas, sei que elas estão lá e permanecerão eternamente…

Há um peso em todas as palavras e por vezes, o melhor, é abster-se delas e deixar por conta do silêncio, que tem também o seu peso, mas é bem mais sutil.

Prefiro o silêncio… Ele me faz apreciar ainda mais as palavras…

E quando necessário recorro ao meu cofre e jogo nele mais palavras para serem guardadas e aprecio o silêncio…

Liss…