Ogum yê meu Pai

Eu sou descendente Zulú
Sou um soldado de Ogum devoto dessa imensa legião de Jorge
Eu sincretizado na fé
Sou carregado de axé
E protegido por um cavaleiro nobre
Sim vou nà igreja festejar meu protetor

E agradecer por eu ser mais um vencedor
Nas lutas nas batalhas
Sim vou no terreiro pra bater o meu tambor

Bato cabeça firmo ponto sim senhor
Eu canto pra Ogum
Ogum

Um guerreiro valente que cuida da gente que sofre demais

Ogum
Ele vem de Aruanda ele vence demanda de gente que faz

Ogum

Cavaleiro do céu escudeiro fiel mensageiro da paz
Ogum
Ele nunca balança ele pega na lança ele mata o dragão
Ogum
É quem da confiança pra uma criança virar um leão
Ogum
É um mar de esperança que traz a bonança pro meu coração
Ogum

“Deus adiante paz e guia
Encomendo-me a Deus e a virgem Maria minha mãe.
Os doze apóstolos meus irmãos
Andarei nesse dia nessa noite
Com meu corpo cercado vigiado e protegido

Pelas as armas de São Jorge

São Jorge sentou praça na cavalaria
Eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés e não me alcancem
Tenham mãos e não me peguem e não me toquem Tenham olhos e não me enxerguem
E nem pensamentos eles possam ter para me fazer mal Armas de fogo o meu corpo não alcançarão
Facas e lanças se quebrem se o meu corpo tocar
Cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Jorge é da Capadócia. Salve Jorge

Da mitologia yóruba: Ogum (em língua yoruba: Ògún)

Ogum é o guerreiro, general destemido e estratégico, é aquele que veio para ser o vencedor das grandes batalhas, o desbravador que busca a evolução.

Defensor dos desamparados, segundo a lenda, Ogum andava pelo mundo comprando a causa dos indefesos, sempre muito justo e benevolente. Ele era o ferreiro dos orixás, senhor das armas e dono das estradas. Irreverente, pois é um orixá valente, traz na espada tudo o que busca.

No sincretismo religioso Ogum é representado por São Jorge e especificamente na Bahia por São Sebastião! Ainda hoje a Ordem dos Templários vive, prega e divulga os ensinamentos de São Jorge.

O dia da semana de maior vibração desta energia é a terça-feira

Dos ensinamentos de Pai Ogum: A vida é sempre resultado de nossas escolhas! A preocupação olha em volta, a tristeza olha para trás, a Fé olha para cima.

No mundo todo celebra-se o dia desse general e eu tenho a graça de nascer nesse dia tão abençoado!

“antes do desconforto, da desconfiança a certeza de que estamos aí sempre para acompanhar-te, proteger sua cabeça e coração e mostrar que antes de ti existe toda uma legião”

Que a espada de Ogum afaste de nós os perigos e as preocupações.

Vale a pena ler: http://povodeluz.blogspot.com/2009/04/sarava-ogum-ogunhe.html

Ps: No ensino médio desenvolvi o gosto pelo estudo da mitologia, através do Professor Tomáz (professor de história na 7° série) conheci a mitologia grega, depois com a professora Débora (que anos mais tarde seria minha diretora no técnico) me aprofundei em história da arte, Egito antigo e civilizações primitivas. Hoje, depois de vários cursos de arte, história, sociologia, mitologia e filosofia na FAAP, ELAM, EMIA, FASCS, USP e etc., tenho a graça de ser amparada pela Deborah Miller (grande irmã e mãe pequena) nos meus estudos!!

Anúncios

À la recherche du temps perdu

… ou da arte de erguer catedrais de sorvete.

Como disse Sun Tzu: São dois os mais fortes guerreiros: o tempo e a paciência. E essa lição eu aprendi muito cedo!

A memória como centro e alicerce de tudo não demonstra resistência ao tempo. Para os sábios ela muda junto com ele…

Talvez Proust, não concorde com a junção que fiz das suas colocações, mas cada uma deles retrata uma verdade, que para mim é absoluta.

Só se ama o que não se possui completamente. Para quem ama, não será a ausência a mais certa, a mais eficaz, a mais intensa, a mais indestrutível, a mais fiel das presenças? Para tornar a realidade suportável, todos temos de cultivar em nós certas pequenas loucuras. Os dias talvez sejam iguais para um relógio, mas não para um homem. Tudo o que foi prazer torna-se um fardo quando não mais o desejamos. O tempo passa e um pouco de tudo aquilo que nós chamávamos de falsidade se transforma em verdade.
Só nos curamos de um sofrimento depois de o haver suportado até ao fim.O ciumento suporta melhor a doença da mulher amada do que a liberdade dela.
Trate de conservar um pedaço de céu acima de sua vida.

Marcel Proust


Rf: “À la recherche du temps perdu” é uma obra romanesca escrita entre 1908-1909 e 1922, publicada entre 1913 e 1927, em sete volumes.

Mesmo que Legião Urbana seja clichê e Renato Russo seja filosofo barato de botequim e que achem um sacrilégio juntá-lo a Proust… Eu junto porquê no fim todo mundo, desde a geração de Proust, passando pela geração de Renato Russo até a minha em certo momento se depara com o tempo e se assusta com ele! Cada um da sua forma, mas o Tempo é sempre soberano!

Há tempo para tudo, mas não parece suficiente. Dia sim dia não saímos em busca do tempo perdido.

Tempo Perdido

Todos os dias quando acordo não tenho mais o tempo que passou…
Mas tenho muito tempo!
Temos todo o tempo do mundo…

Todos os dias antes de dormir lembro e esqueço como foi o dia.
Sempre em frente, não temos tempo a perder…

Nosso suor sagrado, é bem mais belo que esse sangue amargo
E tão sério e Selvagem!

Selvagem! Selvagem!…

Veja o sol dessa manhã tão cinza.
A tempestade que chega é da cor dos teus olhos
Castanhos…

Então me abraça forte e diz, mais uma vez, que já estamos distantes de tudo!
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo…

Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora.
O que foi escondido, é o que se escondeu…
E o que foi prometido, ninguém prometeu…
Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens…
Tão Jovens! Tão Jovens!…

(Legião Urbana, Dois, 1986)

E eu tenho como base da explicação daqueles que voltam no tempo o George Steiner diz: “O inferno pareceu o mais fácil de recriar” (STEINER, 1991: 90). Portanto, o inferno é merecido para aqueles que não sustentam o passar dos tempos…

Ct. Artigo literário que cita a música Tempo Perdido, usei como fonte para uma tese da FGV: http://www.espacoacademico.com.br/025/25cklein.htm

Melhor É Impossível


Sem dúvida um dos melhores filmes que já assisti, cheio de atuações brilhantes por parte de Jack Nicholson, Ellen Hunt, Greg Kinnear e Cuba Gooding Jr.;

Melhor É Impossível, título original: As Good as It Gets um filme norte-americano de 1997, dirigido por James L. Brooks.

O filme conta a história de Melvin Udall, interpretado pelo fantástico Jack Nicholson.



Melvin Udall é um escritor ranzinza, mal-humorado, recluso, racista e homofóbo que sofre de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo).



Melvin é uma pessoa desagradável e cheia de manias. Extremamente irritável e intolerante, diagnosticado clinicamente como obssesivo-compulsivo crônico e incorrigível que vive num mundo do tamanho de seu quarto, mas, apesar disso, numa ironia do destino sua amizade com uma mãe solteira e seu vizinho homossexual fazem-no mudar sua personalidade excêntrica e sua visão das coisas.



Melvin um dia, vê-se obrigado por Frank Sachs (Cuba Gooding Jr.) a tomar conta do cachorro de seu vizinho gay, ops, artista homossexual Simon Bishop (Greg Kinnear), a quem odeia mortalmente, depois que o mesmo é hospitalizado após um assalto armado pelo modelo Vincent Lopiano (Skeet Ulrich).

Durante a ausência de Simon, Verdell o cão da raça Grifo de Bruxelas (Brussels Griffon) passa a morar com Melvin e começa então uma transformação, que fará Melvin confrontar seu repúdio ao convívio humano.



Os rituais de Melvin incluem uma visita diária, religiosamente, ao restaurante em que trabalha Carol Connelly (Helen Hunt), a única garçonete que suporta seus intermináveis abusos, tolerá-o e costuma atendê-lo. Além de pular ladrilhos da calçada…



O mundo metódico de Melvin é, mais uma vez, afetado quando Carol tem que deixar o emprego para cuidar do filho doente Spence (Jesse James) o que tornaria impossível a Melvin tomar seu café da manhã. Então, Melvin faz de tudo para evitar que Carol pare de trabalhar para cuidar do garoto em tempo integral… Até mesmo mudar sua visão patológica sobre as relações humanas.



Melvin tem muitas regras, horários a serem cumpridos, mas demonstra certa flexibilidade. Extremamente perfeccionista e organizado, dono de uma auto-exigência exemplar Melvin quer ter o controle das situações. Cuida sempre para as coisas não saírem do seu normal e assim talvez não perca o controle da sua rotina.

Melvin é dono de um superego muito rígido e de uma dificuldade de ação e decisão tremenda que ocorre por medo do sofrimento. Melvin usa mecanismos de defesa como a racionalização (tem sempre uma explicação para tudo), negação (foge do amor, tem muito medo de se declarar ao outro. Foge da manifestação do afeto) e isolamento (morava só, não tinha amigos e nem fazia por onde pelo modo como se comportava). Melvin é compulsivo (faz e não consegue controlar) tem dificuldade em conter-se.

Alguns dos rituais (conjunto de compulsões, comportamentos repetitivos) de Melvin: Trancar a porta 4 vezes todas às vezes que entrava em casa. Para se levantar da cama e calçar os chinelos tinha uma espécie de ritual. Ligar a luz e apagava também umas 4 vezes. Não pisa “conscientemente” nas linhas das calçadas ou pisos.

Melvin, como todo doido, pensa muito nas suas expectativas, objetivos e necessidades. Principalmente nas suas necessidades. Só fala de si próprio e não liga muito quando é hora do outro contar sobre si.

A paixão por Carol ajudou Melvin a flexiblizar um pouco sua neurose… Melvin passou a ser capaz de amar, de sair um pouco de suas regras pela pessoa que ele amava, mostrou-se capaz e desejoso de ser mais sociável, mais alegre, mais leve, mais humano…



A cena abaixo é um encontro entre Melvin e Carol, é um dos melhores diálogos românticos que já assisti (antes mesmo de assistir o filme eu vivi esse mesmo diálogo certo dia, com uma certa pessoa).

Carol entra no restaurante e o “doceMelvin solta a pérola: – “Não entendo este lugar. Me fizeram comprar um terno novo para entrar, mas deixam você entrar com este vestido cafona.”. Carol se enfurece e ameaça deixar o restaurante, dizendo à Melvin que ele era incapaz de falar algo de bom, ou fazer um simples elogio à alguma coisa.

Como não achei legendado, segue a tradução:

Melvin Udall: Eu tenho um grande elogio para você, e é verdade!

Carol Connelly: Estou morrendo de medo de que você diga algo terrível.

Melvin Udall: Não seja pessimista, não é seu estilo. Okay, aqui vai: Obviamente, um erro. Eu tenho esta… Como direi… Doença? Meu médico, um psiquiatra que costumo visitar o tempo todo, disse que em 50 ou 60% dos casos um comprimido realmente ajuda.

Eu *O-D-E-I-O* comprimidos, coisinhas perigosas, comprimidos. Odeio. Eu estou usando a palavra *O-D-E-I-O* aqui, sobre os comprimidos. Odeio.

O meu elogio é: Naquela noite depois que você veio e me disse que nunca iria… Bem, você estava lá, sabe o que disse. Bem, meu elogio para você é: na manhã seguinte, eu comecei a tomar os comprimidos.

Carol Connelly: Eu acho que não entendi como isto seria um elogio à mim.

Melvin Udall: Você me faz querer ser um homem melhor.

Carol Connelly: …Este é melhor elogio que escutei na vida.

Melvin Udall: Bem, talvez eu tenha exagerado um pouco, pois eu me esforcei apenas o suficiente para evitar que você saísse.

No final do filme todo mundo acaba torcendo para que o pulha do Melvin fique com a simpática garçonete e pare de encher o saco do seu vizinho gay.

E eu ainda fiquei catando as frestas da rua pra não pisar em cima da linha e cantarolando Always look bride side life do Monty Phyton por ai religiosamente várias vezes ao dia.



Um romance impecável!



Diante do fabuloso Melvin eu tenho certeza que ninguém é normal… Não o tempo todo! E eu muito menos…

Há pessoas que são cometas, outras estrelas…

Há aquelas que passam, aquelas que ficam…

Há pessoas que estarão sempre perto mesmo estando longe e as que estarão sempre muito longe estando sempre perto…

O mais importante são as marcas que as pessoas deixam, o que fica em nós de cada uma. É isso que conta. Boas ou ruins, certas marcas sempre existirão…

Tem gente que não nos melhora, nem piora… Não soma, nem subtrai. E tem gente que só subtrai, divide, piora…

Mas, certas pessoas só nos melhoram, somam, agregam… Ah estas sim valem a pena! Estas sim são as que são eternas!





Quizisses

“Olá pessoas doentes e seus familiares. Para não perdemos tempo e evitarmos conversa-fiada chata, eu sou o doutor Gregory House…”

Liss completed the quiz “Qual personagem de House M.D. você seria?” with the result Gregory House.

Você é o próprio Dr House. Extremamente inteligente, sofisticado, fanático por quebra cabeças e desafios, extremamente perceptivo, odeia autoridade, faz qualquer coisa para obter o que quer, poucos amigos mas valoriza-os muito, pouquíssimas pessoas conseguem entendê-lo, a maior parte das pessoas que consegue ou fica louca ou sai correndo.

Gregory House é um personagem fictício, protagonista da série House. Interpretado por Hugh Laurie, é um gênio da medicina que lidera um grupo de diagnosticistas no Princeton-Plainsboro Teaching Hospital.

House é descrito como um misantropo, cínico, sarcástico, e ranzinza!

House, muitas vezes, utiliza práticas inortodoxas de diagnóstico, motivações terapêuticas radicais. Brilhante, Gregory valoriza mais a descoberta do quebra-cabeça, a ligação dos sintomas, para fazer o diagnóstico mais importante do que a vida do próprio paciente, e a racionalidade forte de House resultam em conflitos frequentes.

House mostra, com frequência, total falta de empatia e simpatia por seus pacientes e por pessoas em geral.

O personagem é parcialmente inspirado em Sherlock Holmes.

Verdades do Dr. House:

“Mentiras são como as crianças: apesar de inconvenientes, o futuro depende delas” – I lie!?!

“Ainda é ilegal fazer uma autópsia em uma pessoa viva?” – Quando não for eu farei!

“Se você fala com Deus, você é religioso. Se Deus fala com você, você é psicótico” – AdOrO essa!

“Eu já atingi a cota mensal de exames inúteis para idiotas teimosos” – Humpf!

“Um viciado em sexo com a língua inchada. Imagine todos os lugares que posso fazer Dr. Foreman procurar!” – Uiii!

Uma freira fala para House: “A Irmã fulana acredita em coisas que não são reais”
House responde: “Pensei que esse fosse uma exigência para sua atividade” – Perfect!

“Preciso ir, o prédio está cheio de pessoas doentes. Se correr, talvez consiga evitá-las” – Idiota!

“Eu não preciso assistir a THE O.C., mas me deixa feliz” – A mim também!

“Eu sou o McCane!” (McBengala, referência aos apelidos com Mc dos médicos de Grey’s Anatomy, McDreamy, McSteamy, McVet, etc) – Detesto Grey’s Anatomy

“Leia menos… veja mais TV” – Não consigo!

“Como disse o filósofo Jagger uma vez: ‘Você não pode ter sempre aquilo que quer’” – Eu discordo!

“Todo mundo mente” Everbody lies… – Meu chaveco mais perfeito!

“People don’t change!” – A MAIS PURA VERDADE!

Por que Deus recebe todo o crédito sempre que algo bom acontece?” – Como se Deus fizesse tudo sozinho!

“Preciso de mais Vicodin!” – Eu amo vicodin (o meu).

“O mundo seria um lugar melhor se as pessoas nunca se sentissem culpadas.” – Concordo!

“Melhor eu não ver você rezando! Não vou querer brigar pelos créditos dessa vez!”- Hilário!

“Fazendo de propósito, evitam-se os acidentes.” – Faço sempre!

“Você se surpreende ao perceber o quanto pode suportar…” – Pois é…

“A verdade é irrelevante.” – Hum…

“A constante é que as pessoas mentem, a variável é o motivo.” – Óbvio!

“Todo mundo morre.” – Ainda bem!

“I don’t care” – Me too!

“Todos nós temos algo do qual se arrepender.” – Será?

“Você pode viver com dignidade, não morrer com ela.” – Hahaha!

“Não conseguimos só porque queremos.” – Fato!

“Superou sem enfrentar?” – Tolo!

“Vai confiar em mim? Eu minto sobre tudo!” – O tempo todo!

“Deus não manca!” (Quando o Foreman disse que não queria que House se sentisse como Deus.)

“Nunca ameace a não ser que esteja pronto para fazer, isso te torna fraco. ” – Conheço muita gente fraca…

“O seu raciocínio não presta. Para a próxima, use o meu!” – Fodástica

“Quando se quer saber a verdade sobre alguém, essa deve ser a última pessoa a ser consultada.” – Favorita

Muita gente me destesta, me critica, me odeia, mete o pau, mas no fundo só tem inveja e apreciam meu trabalho… – Verdade master!

Have You Ever Seen The Rain?

Someone told me long ago
There’s a calm before the storm
I know, it’s been comin’ for some time

When it’s over, so they say
It will rain a sunny day
I know, shinin’ down like water

I want to know, have you ever seen the rain?
I want to know, have you ever seen the rain?
Comin’ down on a sunny day

Yesterday, and days before
Sun is cold and rain is hard
I know, been that way for all my time

And forever, on it goes
Through the circle, fast and slow
I know, it can’t stop, I wonder

I want to know, have you ever seen the rain?
I want to know, have you ever seen the rain?
Comin’ down on a glorious day

Yeah!

I want to know, have you ever seen the rain?
I want to know, have you ever seen the rain?

Comin’ down on a glorious day

(John Fogerty)

Deixa chover Ah! Ah! Aaaaaaah!
Deixa a chuva molhar
Dentro do peito
Tem um fogo ardendo

Que nunca vai se apagar…

(Guilherme Arantes)

Essa chuva que lava a alma!
Que leva para terra o que se necessita e traz do céu o que se merece.
Lava tanta coisa, limpa e deixa tudo mais claro!
Essa chuva gostosa de sentir na pele que só esquenta não esfria.

É assim: Tudo me agrada, até a instabilidade do tempo… Tudo me agrada!

I’m singing in the rain
Just singin’ in the rain
What a glorious feeling
I’m happy again
I’m laughing at clouds
So dark up above
The sun’s in my heart
And I’m ready for love
Let the stormy clouds chase
Everyone from the place
Come on with the rain
I have a smile on my face
I walk down the lane
With a happy refrain
Just Singin’, singin’ in the rain
Dancing in the rain
I’m happy again
I’m singin’ and dancin’ in the rain
I’m dancin’ and singin’ in the rain

(Gene Kelly)

http://blip.fm/~ctp4v